Fecho os olhos e penso: “Onde estou nesse exato momento?” E para minha surpresa acabo percebendo que minha mente se encontra vagando em momentos do meu passado, ou construindo planos pro meu futuro. Não, não estou aqui, no tempo presente.

Fisicamente nós estamos no presente, mas nossa mente viaja do passado ao futuro sem sequer dar uma parada pra observar o aqui e agora. Tenho certeza que muitos se identificam com esse “modo de viver”.

Deixamos a vida passar e não nos damos conta daquilo que está realmente acontecendo conosco. Funcionamos no modo automático. Assim que despertamos já acionamos todas as nossas preocupações acumuladas do dia anterior… Ou ficamos preocupados com aquela reunião que irá acontecer às 10hrs no trabalho. Em todo o trajeto que fazemos da nossa casa ao trabalho ficamos tão focados em relembrar nossos amores que não deram certo, aqueles amigos que se distanciaram ou com as contas a pagar, que sequer cumprimentamos aqueles que passam por nós.

E nossa mente vagueia o dia todo… Não importa onde você esteja ou o que estiver fazendo, ela sempre te levará a milhares de lugares e associará um pensamento ao outro…

Mas eu e você também temos outra coisa em comum: o desejo de mudar essa nossa realidade, acalmar nosso pensamento e sentir o mundo à nossa volta.

Há uma expressão em latim – Carpe Diem – que em sua tradução literal quer dizer: “Aproveite o dia”. Para compreendermos melhor podemos dar a ela o significado de “Viver bem o momento presente”.

Na prática seria focarmos naquilo que estamos vivendo nesse exato momento, sem ficar “ruminando” aquilo que já passou, ou se preocupando com aquilo que ainda não aconteceu.

O passado é algo que não mais está em nossas mãos. Não podemos mudar sequer uma palavra já dita. Dele só podemos tomar o aprendizado, pois nada é em vão. Também podemos guardar conosco boas lembranças, que nos farão sorrir quando o presente estiver muito pesado.

O futuro é algo com que todos se preocupam muito, por ser incerto. Não sabemos como as coisas vão acontecer exatamente, e essa incerteza gera em nós a ansiedade dessa espera. Ficamos imaginando o quê dizer, o quê fazer, enfim, todos os detalhes… Depositamos no futuro todas as nossas expectativas, e até mesmo o pessimismo de que não dará tudo certo. E ficamos imaginando o futuro… E o nosso presente vai se tornando passado, e nem percebemos.

O presente é algo maravilhoso. É o único momento em que temos a possibilidade de agir, de mudar as circunstâncias e aproveitar as oportunidades. É o tempo que temos pra sentir de verdade as coisas. É tudo o que temos de real. Não percamos mais o momento presente!

Ao encontrar com alguém, valorize a presença daquela pessoa, pois aquele momento será único, nunca mais se repetirá da mesma forma. Olhe nos olhos daqueles com quem você conversar, abrace e sinta o coração da outra pessoa pulsando. Beije demoradamente… Sorria sempre que puder.

Cumprimente as pessoas que passam pelo seu caminho. Observe o ambiente. Sinta a brisa. Ouça uma música e preste atenção na letra dela. Coma devagar e sinta o sabor de cada alimento.

Ria muito com seus amigos, esteja com a sua família, ame intensamente.

Cuidando bem do nosso presente, consequentemente teremos um passado incrível para lembrar e um futuro melhor ainda.

Não se preocupe tanto… Não há problema sem solução, e o mundo tem infinitas possibilidades. Se as coisas não saírem como você esperava, tente outra vez. Se saírem, comemore muito!

Viva cada momento intensamente. Como diz um trecho da música “Like I’m Gonna Lose You” (Como se fosse te perder), da cantora Meghan Trainor:

Então eu vou te amar, como se fosse te perder. Vou te abraçar, como se eu estivesse dizendo adeus. Aonde quer que a gente esteja, vou te valorizar, pois nunca sabemos quando o nosso tempo vai esgotar… Não nos é prometido o amanhã.

Carpe Diem!

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Izabela Aparecida Felisberto

Izabela Aparecida Felisberto

Natural de Chavantes-SP, Distrito de Irapé, interior de SP. Formada em Administração de Empresas pela Faculdade Estácio de Sá, Câmpus de Ourinhos. Estudante de psicologia, 24 anos, me interesso por tudo que se relaciona às diversas facetas do ser humano, sobretudo o seu desenvolvimento e melhoria de qualidade de vida. Amante da literatura, leio tudo o que for possível... de romances a rótulos de produtos! A escrita e o artesanato são algumas de minhas terapias. Me apaixono diariamente... pela vida!