O silêncio grave dos templos abandonados

Vazio A noite é como um olhar longo e claro de mulher. Sinto-me só. Em todas as coisas que me rodeiam Há um desconhecimento completo da minha infelicidade. A noite alta me espia pela janela E eu, desamparado de tudo, desamparado de mim próprio Olho as coisas em torno Com um desconhecimento completo das coisas […]

Será que você realmente conhece as pessoas com as quais convive?

A Sombra da Pessoa (…) Uma pessoa não está… nítida e imóvel diante dos nossos olhos, com as suas qualidades, os seus defeitos, os seus projectos, as suas intenções para connosco (como um jardim que contemplamos, com todos os seus canteiros, através de um gradil), mas é uma sombra em que não podemos jamais penetrar, […]

Crônica de Saramago: E agora, José?

«E agora, José?» Por José Saramago Há versos célebres que se transmitem através das idades do homem, como roteiros, bandeiras, cartas de marear, sinais de trânsito, bússolas — ou segredos. Este, que veio ao mundo muito depois de mim, pelas mãos de Carlos Drummond de Andrade, acompanha-me desde que nasci, por um desses misteriosos acasos […]

Como conhecer profundamente alguém?

Acho que, na maioria dos casos, quando uma pessoa se ri torna-se nojento olharmos para ela. Manifesta-se no riso das pessoas, na maioria das vezes, qualquer coisa de grosseiro que humilha a quem ri, embora essa pessoa quase nunca saiba que efeito o seu riso provoca. Tal como não sabe (ninguém sabe, aliás) a cara […]

Queremos Homens Completos ou Meros Cidadãos?

A educação actual e as actuais conveniências sociais premeiam o cidadão e imolam o homem. Nas condições modernas, os seres humanos vêm a ser identificados com as suas capacidades socialmente valiosas. A existência do resto da personalidade ou é ignorada ou, se admitida, é admitida somente para ser deplorada, reprimida ou, se a repressão falhar, […]

A Palerma (de Tchékhov)

  Dias atrás mandei chamar a governanta dos meus filhos, Iúlia Vassílievna, ao meu gabinete. Precisávamos acertar contas.         – Sente-se, Iúlia Vassílievna.! – eu disse. – Vamos acertar nossas contas. A senhora provavelmente necessita de dinheiro, mas tem cerimônia demais para pedir… Vamos lá… Nós combinamos trinta rublos por mês…   […]

Tudo o que é sólido desmancha no ar

O fato básico da vida moderna, conforme a vê Marx, é que essa vida é radicalmente contraditória na sua base: De um lado, tiveram acesso à vida forças industriais e científicas que nenhuma época anterior, na história da humanidade, chegara a suspeitar. De outro lado, estamos diante de sintomas de decadência que ultrapassam em muito […]

Quando o status de “superioridade” revela nossa inutilidade perante o universo

Nossas relações  estão cada vez mais complexas. Seriamos nós a geração cujo caos revoluciona, aprisiona ou paralisa? Diante da vastidão de informações muitas vezes desconexas, absurdas e de nossa facilidade em obter conhecimento, estaríamos preparados para tudo isso? Seriamos nós o produto da filosofia existencialista, vazios e solitários buscando cada qual preencher da sua forma […]

Mas o ócio é uma arte e nem todos são artistas; Reflexão sobre uma vida corrida

[…]Daqui nasce a luta contra o tempo, para tentar roubar-lhe mais chances e ocasiões do que aquelas que o destino gostaria de nos conceder. Daqui brotam as infinitas artimanhas para economizar tempo recorrendo a telefones e aviões, para enriquecer o tempo escutando rádio enquanto andamos de carro. Para programar o tempo, recorrendo a agendas sofisticadas […]

“Como se fosse possível matar o tempo sem ferir a eternidade”

Paramos no sinal vermelho, olhamos para os lados e tudo que vemos é a insatisfação no volante. A tristeza está ali, sempre a espreita. É só mais um dia. Não, não falo das grandes tristezas; das guerras, da poluição, do abandono, da escravidão, da desigualdade. Não nesse momento. Falo das pequenas tristezas massacrantes e diárias, […]