Confusão

Haviam dois bares da moda na cidade, eles eram em esquinas e um de frente pro outro e ficavam muito cheios de estudantes pelo fato de ter cerveja barata. As pessoas diziam que um deles era frequentado pelos estudantes de medicina e o outro pelo de humanas, mas como Anna era estudante de engenharia, ela não se importava.

Anna era tranquila e tinha vários amigos. Em um dia de semana, um desses amigos, Pedro, a chamou para ir ao bar, pois ele havia combinado de ir com outras pessoas. Anna animou com a ideia de sair um pouco.

Tudo ocorreu como o planejado, e quando chegaram lá viram que o cruzamento onde se encontravam os bares estava tomado por pessoas, quase não se passava carro, parecia uma festa porém sem música.

Apesar de meio bagunçado, o passeio estava legal. Foi quando uma coisa inesperada aconteceu.
Por volta da meia noite, os donos dos bares pararam de vender mais bebidas com o intuito de fechar, mas muita gente continuou no local, conversando e terminando suas bebidas.

Quando viram uma viatura da polícia estava se aproximando! Então eles resolveram ir embora.
O que estava acontecendo? Teria ocorrido alguma coisa grave ou seria simples rotina policial?

Enquanto íam em direção ao carro, Anna se virou para trás para comentar algo com Pedro e viu uma fumaça surgindo no meio do povo. A polícia tinha jogado bomba de efeito moral e estava tentando dispersar as pessoas e acabar com a festa.

Os olhos começaram a arder e eles saíram correndo. Pedro voltou para multidão para buscar a prima dele, e Anna e mais duas pessoas foram para o carro e ficaram escondidos. Foi então que começaram a escutar tiros, e pessoas gritando. A polícia estava disparando balas de borracha em qualquer pessoa que ficasse no caminho.

Felizmente, Pedro e a prima se esconderam no bar que estava fechando e o carro estava mais distante da bagunça. Porém algumas pessoas foram feridas, uma moça foi agredida pela polícia e alguns rapazes foram baleados.

Enquanto o Pedro estava com a prima no bar, ele mandou uma mensagem para Anna dizendo que o dono do bar, tranquilamente, estava fritando batata enquanto eles estavam deitados debaixo das mesas se escondendo.

No final, o dono de um dos bares foi preso, porque provavelmente reclamou da violência policial desnecessária, mas já foi solto.  Os muros amanheceram pichados, devido a revolta da ação da polícia que não cumpre com seu papel de proteger as pessoas.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Lais Nascimento

Lais Nascimento

Mineira de Guaxupé, 26 anos, biomédica.
Amo a área da saúde mas também tenho grande interesse em psicologia e comportamento humano.