Moça, um passarinho me contou e pediu para te dizer

Moça, sei que é complicado ser otimista em meio a tantas decepções, entendo que estamos vivendo tempos difíceis onde ganha quem demonstra menos interesse, mas te peço que não desista do amor. Mesmo que tenham transformado ele num jogo para profissionais, deixando rélis amadores como nós de fora. Insisto que não desista, de repente é lá fora que você vai encontrar o que está a procurar, mas é preciso ter coragem, disposição e sair da caverna para explorar o mundo, principalmente o seu.

Moça, independente do que aconteça, nunca se esqueça que você nasceu para ser feliz e que você merece isso. Quando as coisas não estiverem muito bem e algo te fazer perder o chão, permita-se cair, sentir a dor e chorar tudo o que você tem guardado, é preciso esvaziar o estoque e colocar para fora o que está fazendo mal para quando surgir outra diversidade estarmos preparadas para suportar o tombo, sentir a dor e levantar, ainda que as lágrimas  caiam.

Moça, siga sempre em frente, mas não se esqueça que, às vezes, é necessário fazer algumas paradas ao longo da caminhada, olhar para os lados e para trás para não se perder e saber para onde está indo. Lembre-se que aquele destino que muitos buscam chamado felicidade, se encontra no caminho e não lá no final, distante de você. Saiba prestar atenção nas nuances da vida, nas coisas simples e desinteressadas que aparecem por acaso, geralmente são as que mais valem a pena.

Ei moça, preste atenção, olhe em sua volta. Repare quem enxerga você. Quem lhe dá ouvidos e lhe estende mão. Perceba nas piadas ruins que ele te conta, só porque sabe que são as que você mais gosta. E, moça, ele faz isso só pra te fazer sorrir, porque não abre mão de ser o motivo do seu riso frouxo e despojado, que ele acha tão lindo e espontâneo, como você é! Ele tem um jeito estranho, meio esquisito, incomum, porque ele é único. Ele é o seu número. Moça, um passarinho me contou e pediu pra te dizer, aquele moço, o seu melhor amigo, gosta muito de você…

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Rachel Dos Santos

Rachel Dos Santos

Paulistana, porém mineira de coração. Vinte e poucos anos, viciada em música e sorvete, adora filosofar no facebook e compor canções que guarda a sete chaves. Estudante de jornalismo , pretende construir um mundo mais bonito por meio de seus escritos. Acredita que a simplicidade é a chave que abre a porta da felicidade. Sempre usa reticências no final das frases porque sente que sempre há um pouco mais a se dizer...