REVELATO

espelho

Eu não sei se vocês sabem, e se não sabem deveriam, que o Apocalipse foi escrito por um sujeito em surto.

Quem quer que tenha sigo João de Patnos, no livro transparecem os seguintes fatos: ele era cristão, fora perseguido por uma espécie de autoridade terrena hostil manifestando intolerância religiosa, e refugiou-se numa ilha, onde provavelmente perdera contato com muitos, se não todos, os seus conhecidos e parentes. Havia outros refugiados ali? Não sei. Não sabemos. E se houvesse, não sabemos qual era a sua ligação com ele.

Sua mente já era cheia das imagens que vieram a povoar o livro depois. E provavelmente dos problemas mentais tipicamente desenvolvidos por perseguidos políticos e devotos religiosos. Gente que vive a sombra do medo. E ele em especial, numa situação de especial stress.

A despeito da fé de cada um, é um livro bem mais fácil de ser compreendido por historiadores, psicólogos e psicanalistas do que pelas pessoas hoje mais parecidas com o que este João era em vida.

Se você acha que, apesar disso, ele ainda assim revela verdades absolutas e sagradas, então você deveria sair da frente de seu computador e ir agora tentar decifrar a fala incoerente das pessoas que, como ele, perderam a conexão com o lar de onde vieram, acreditam ver o que ninguém mais vê, e metem medo em nós. Tem uma atrás de cada cachimbo feito de latinha que dorme na rua. Outras tantas não usam drogas, exceto as que o médico prescreve.

O mundo tá cheio de profetas gritando a Grande e Verdadeira Revelação.

A poucas quadras da sua casa. Talvez mais perto ainda.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Luiz Hasse

Professor e artista,
homem de ciência
E letra escrita.
E sonhava quando criança
em ser astronauta ou super-herói
Investigador ou agente secreto
Vampiro, lobisomem, androide
mago com superpoderes,
ser de outras dimensões
misterioso vestido de preto.
Mas nada disso se consegue
Sem que aquela nave original
Tome um rumo bem mais
sombrio.