Sermão da liberdade

164

Não sou machista. Não sou feminista. Eu sou o que eu sou: um espírito em evolução encarnado. Nesta encarnação, sou mulher, na próxima, posso ser um homem. Portanto, sou dual: sou espírito e sou matéria.

Por darmos muita importância ao que é matéria, esquecemos que, antes de mais nada, somos espíritos. O autoconhecimento deveria ser nossa prioridade.

A ausência do autoconhecimento nos leva à baixa autoestima e por isso há tanta gente por aí suportando coisas que não deveria suportar (ou deveria? Afinal, cada um tem que saber de si). Suporta relacionamentos ruins, empregos ruins… Situações abusivas de um modo geral.

Cuide de si, se importe com o que é seu, com você, com o que te diz respeito. Cada um é dono de si (ou deveria ser).

Sua verdade pode ser mentira para alguém e vice-versa. Há diferentes pontos de vista para uma mesma situação. Aprenda a não julgar o ponto de vista que não é o seu.

Abra sua mente, comece a cultivar a empatia.

Vamos acabar com a guerra de sexos, de ideologia e vamos pregar a liberdade, o respeito e o amor.

A mudança sempre começa dentro de si. O mundo material reflete nosso mundo interior. Se quiser amor, seja amoroso, se quiser respeito, respeite os seres. Plante o que você quer colher, plante o que você quer vivenciar.

Saia de onde você não cabe mais, você não tem que suportar nada. Isso não é carma, isso não é castigo de Deus, isso é a sua atitude passiva em relação às coisas, às pessoas, à sua vida.

TOME AS RÉDEAS DA SUA VIDA. Atribua a responsabilidade da sua vida para si. Ninguém é responsável por você a não ser você mesmo.

Seja independente. Só você pode mudar seu caminho.

O livre arbítrio tá aí. Use-o com sabedoria!

172

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Marcella Sartori Ferreira

Marcella Sartori Ferreira

Advogada, pensadora amadora, libriana, ascendente em aquário, Lua em leão, Vênus em virgem, ou "doida", como muitos têm me chamado (o que tenho tolerado e até me identificado), cujo hobby é rir!