Síndrome de Cotard

Um poema sobre  Síndrome de Cotard, uma síndrome rara de fundo psicológico na qual a pessoa acredita estar morta não reagindo a estímulos exteriores nem a outras pessoas, também pode acreditar que está com seus órgãos internos podres, apodrecendo ou que foram retirados… Foi descrita primeiro pelo neurologista Jules Cotard em 1880… Fonte: pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_de_Cotard

 

 

Sem sentir o peito estufar, socou o rosto do vento

na tristeza vão de não existir

cruzou ruas, ignorou o mundo ruir

e num instante, para sempre, nada mais, pode ouvir

em uma noite o ser que luzia no ar

em carne, osso, asas e marfim

flutuou acima de seus ombros e afirmou que

ainda havia vida, até que pudesse sentir

Mas nem mesmo o delirio celestial,

prevaleceu, sobre a negação da própria existencia

E no meio de um dia,

seus órgãos apodreceram e o cheiro de decomposição

ventou em fúria livre ao mundo que não pertencia mais

os delírios eram deus, aquele que rezou a implorar

e a certeza da morte, fazia da vida, um filme sem fim

a dor subitamente o arruinou, inexplicável e imprevisivelmente

não saberia explicar onde, o que lhe doía,

pois tudo que sentia

nada conseguia, ao menos acreditar

a sanidade fora esfaqueada numa boca de fumo as 19 da noite

o corpo

num quarto sem luz, dividindo mofo e fome com os ratos

no ápice da agonia de não viver, pregou os olhos com pedaços de chão

como um tiro a sensatez lhe varou a doença

e pela última vez

pode pensar que,

mesmo na morte, se vive atormentado…

 

  • Recomendo o 2# episódio da 4ª temporada da série Luther e também o episódio 20# da 8ª temporada de House. Em ambos a doença é abordada…

 

 

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Vinícius Prestes

Vinícius Prestes

Escritor e boêmio, 18 anos, apreciador de música, da clássica ao samba, assíduo leitor de escritores beatniks, aficionado por filmes de máfia, no momento escrevo pra não morrer...