A vida é um teatro, no qual somos atores e plateia

Durante o caminhar da vida precisamos, mais do que nunca, do contato com o supremo “eu” que existe no interior de cada um de nós. Ao compreendermos que é real a sua existência, tornamo-nos capazes de despertar a capacidade de participar ativamente do espetáculo que está sendo ensaiado.

Pode-se dizer que estamos na vida em um verdadeiro balanço, ao passo que, a todo momento, trocamos e destrocamos de papéis. Ora é necessário que ocupemos o papel de plateia, para avaliarmos criticamente as nossas ações, ora nos colocamos no papel de atores, para praticá-las. Ao atuarmos como atores que dialogam com a máxima essência do seu ser, lidamos com quem de fato somos, conscientes das nossas virtudes e defeitos, e assim estaremos aptos a apresentar a peça que cuidadosamente foi planejada.

No papel de atores fazemos escolhas. Podemos optar a continuar com os comportamentos que nos são habituais ou mudar o roteiro da peça, fazendo os ajustes necessários para aprimorá-la. A mudança oferece a oportunidade de deixar a peça ainda mais bela. Assim, devemos procurar o melhor de quem podemos ser, abandonando o papel de coadjuvantes e assumindo o papel de atores no magnífico espetáculo da nossa vida!

Se você gostou do texto, visite a página Leveza da Vida e confira algumas dicas práticas de como levar uma vida mais leve, com menos problemas e mais saúde!

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Saulo Oliva

Saulo Oliva

Saulo O. é psicólogo. Visite a página Leveza da Vida e confira mais textos do autor.